Jovem de Taquari fala sobre sua devoção à Nossa Senhora da Assunção



Jovem de Taquari fala sobre sua devoção à Nossa Senhora da Assunção
17 Maio
2017
Escrito por: Júlia Cardoso
Publicado em: Montenegro

Minha devoção à Nossa Senhora da Assunção surge a partir de sua aparição na cidade de Taquari – RS em 1988.

No interior da cidade havia uma pequena capela que a comunidade já não tinha grandes esperanças de manter de portas abertas. Ao lado desta simples capela, havia uma escola humilde de poucos alunos. Na semana em que se comemorava a festa do padroeiro São José, coincidentemente próximo à Páscoa, as comunidades dos arredores levavam a imagem dos Santos de cada capela para que ficassem uma noite na capela de Assunção. Sua primeira aparição foi para um menino (Volnei) de 11 anos, que passava todos os dias, quando ia à escola, por uma árvore chamada “chá-de-bugre”, local onde Nossa Senhora deixou-se ver. Nesta aparição, Volnei apenas À viu. Chegando na escola, ele relatou à professora de que tinha visto “uma moça muito bonita” que estava em cima de uma árvore. Achando estranho, a professora foi com a pequena turma e o menino para ver se realmente era verdade. Ao chegar na árvore, não só um, mas três crianças puderam VER e OUVIR Nossa Senhora. Apenas estas três crianças viam, mais ninguém.

As primeiras palavras de Nossa Senhora com as crianças foram: “Sou Nossa Senhora da Assunção. Quero o bem de todos. Quero a paz entre os homens. Busquem a minha imagem em Taquari, aqui é o meu lugar.” Depois disso, a professora contatou o pároco da época, Frei João, que imediatamente foi ao encontro das crianças, enquanto a professora tomava nota do que Volnei conversava com Nossa Senhora. Visto que a imagem de Nossa Senhora da Assunção não estava na capelinha, Frei João levou Volnei à paróquia para ver se quem ele via era alguma das imagens que tinham lá. E ao entrar na Sacristia, sem precisar perguntar ao menino, Volnei apontou para a imagem de Nossa Senhora da Assunção e disse: “É Ela que fala comigo!” Naquele momento, cheio de emoção, Frei João levou a imagem para a capela e, desde então, centenas de pessoas vigiaram dia e noite com orações aos pés da árvore, enquanto Nossa Senhora conversava com Volnei e seus dois colegas. Numa das conversas, Volnei disse que tinha muito medo de ficar sozinho, e Nossa Senhora o disse: “Quando tiveres medo, segura Jesus bem firme no crucifixo do terço, e teu medo passará.”

Durante cinco dias Nossa Senhora da Assunção apareceu para as crianças e conversou com elas, e uma de suas promessas foi que todos um dia poderiam vê-la. No sábado de aleluia, dia 02 de Abril, Nossa Senhora da Assunção deixou-se ver pelas mais de duas mil pessoas que à esperavam ao redor da árvore. Relatos dizem: “O sol parecia estar pulsando e começou a girar. O sol mudava de cor. O sol podia ser visto sem ofender a vista. Foi como presenciar, através de uma abertura, as belezas infindas que Deus preparou para nós no céu. Como se a luz de Maria ocupasse a luz do sol. Gotas de orvalho caíam sobre nós.”

Eu sou muito grata à Deus e à Nossa Senhora da Assunção, por terem escolhido uma cidade tão pequena, tão simples, e hoje, tão devota, para mostrar a Sua grandeza. E creio que é assim que Deus nos escolhe, mesmo sendo simples, pequenos, muitas vezes incrédulos, mas Seus filhos. Afinal, um Pai e uma Mãe nunca deixam sus filhos na escuridão.

 

Lida 636 vezes

Notícias por Diocese

Últimos Eventos


Sem eventos

Apoiadores