E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Jovem, tem o desejo de fazer a diferença na sociedade, testemunhando o amor de Cristo? Então, anote aí!

Publicada em 22/06/2021

  • Jovem, tem o desejo de fazer a diferença na sociedade, testemunhando o amor de Cristo? Então, anote aí!

Sensibilizar as juventudes do Brasil para ações concretas e fazer florescer a civilização do amor. Este é o objetivo do seminário sobre juventude e solidariedade, que acontece nos dias 3 e 4 de julho de forma online e gratuita. O encontro é uma realização da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB e será transmitido ao vivo no canal do Jovens Conectados no YouTubeNo dia 3, o encontro tem início às 14h30, já no dia 4, às 16h.

O tema do encontro, “Florescer a civilização do amor”, é extraído do discurso de despedida do Papa Francisco na Jornada Mundial da Juventude de 2013, no Rio de Janeiro (RJ), quando o pontífice disse aos jovens: “A partir do testemunho de alegria e de serviço de vocês, façam florescer a civilização do amor. Mostrem com a vida que vale a pena gastar-se por grandes ideais, valorizar a dignidade de cada ser humano e apostar em Cristo e no seu Evangelho”.


TEMAS DO ENCONTRO

Com a participação de diversos jovens e testemunhos, as reflexões terão como base quatro temas: a Economia de Francisco, movimento idealizado pelo Santo Padre e que traz uma proposta de um novo modo de viver as relações de trabalho, lucro e consumo, a encíclica “Fratelli Tutti” do Papa Francisco, como uma dimensão dialogal e solidária da vida cristã, a necessidade de ser uma Juventude em Saída, testemunhando Cristo na sociedade, em especial nas suas diversas periferias, e a encíclica “Laudato Si’”, considerando o cuidado da casa comum como uma responsabilidade cristã com o projeto de uma ecologia integral.

Para Dom Nelson Francelino Ferreira, Bispo de Valença (RJ) e presidente da comissão episcopal, é necessário que a juventude enfrente com coragem a imposição subjetiva e individual do protagonismo juvenil que o mundo necessita.

        “A minha grande frustração nesses tempos é ver uma juventude que não sabe se posicionar com objetividade diante da ditadura de um relativismo estrutural num tempo de polarizações irracionais. Gostaria muito de ver a juventude sendo protagonista de um paradigma que reprovasse essas polarizações culturais, sendo agentes de uma terceira via, alicerçada nos valores revelados por Jesus Cristo: uma juventude apaixonada pela Verdade, pela justiça, pela fé”, exorta o bispo.


Fonte e foto: jovensconectados.org.br

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface