E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Papa: “Como Abraão, esperar contra toda esperança”

Publicada em 29/03/2017

Durante a última Audiência Geral (29/03), mais uma vez o Papa Francisco utilizou como base, um fragmento da Carta do Apóstolo Paulo aos Romanos. Para o Pontífice, este trecho é um grande dom, porque mostra Abraão como “pai da esperança” e preanuncia a Ressurreição: a vida nova que vence o mal e até a morte.

Novamente falando sobre a esperança cristã em sua Catequese, Francisco nos diz que “a esperança cristã vai além da esperança humana, mas há um preço a pagar: abrir o coração”. Na Carta, foi lido o trecho onde fala que Abraão não vacilou na é, apesar de ver o seu físico abatido por sua idade e considerando o útero de Sara já incapaz de conceber, porém continuou acreditando na promessa divida de que haveria de ser pai de muitos povos.

Paulo nos ensina também que somos chamados a viver esta experiência de “esperar contra toda esperança”. A esperança teologal é capaz de permanecer no meio é capaz de permanecer no meio da queda de todas as esperanças humanas, porque não estabelece numa palavra nossa, mas na Palavra de Deus. Ele nos ajuda a compreender a ligação íntima que existe entre a fé e a esperança, mostrando que está não se fundamenta em raciocínios, previsões e certezas humanas, conseguindo ir mais além do que humanamente se pode esperar.

Dirigindo-se à Praça São Pedro, o Papa perguntou aos fiéis: “Estamos convencidos realmente de que Deus nos quer bem? Que ele pode cumprir o que prometeu? Qual seria o seu preço? Abrir o coração! A força de Deus ensinará o que é a esperança. Este é o único preço: abrir o coração á fé... e Ele fará o resto!”.

“Eis, portanto, o paradoxo e ao mesmo tempo, o elemento mais forte, mais elevado, da nossa esperança! Ela é fundada em uma promessa que do ponto de vista humano parece ser incerta e imprevisível, mas que se manifesta até mesmo diante da morte, quando quem a promete é o Deus da Ressurreição e da vida”, acrescentou ele.

Que possamos então, viver como verdadeiros filhos de Abraão, pedindo a graça de viver firmes e seguros na esperança que nasce da promessa de Deus, para que assim a nossa vida ganhe uma luz nova e mais forte, com a certeza de que Aquele que ressuscitou o seu filho, há de ressuscitar e dar uma nova vida a cada um de nós também.

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface