E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Jovem conta sua experiência de missão da Pastoral da AIDS

Publicada em 14/05/2016

Olá! Me chamo Igor e sou integrante da Comunidade Missionária de Emaús de Santa Maria. Meu desejo de fazer parte da Pastoral da AIDS surgiu a partir da minha participação na Semana Missionária em Porto Alegre, quando passei uma semana vivenciando experiências que eu não tenho como descrever através de palavras. Ao término do evento, voltei para Santa Maria com o desejo de fazer algum trabalho missionário parecido na minha cidade. E foi na Pastoral da AIDS que encontrei essa oportunidade.

Como missionário, pude conviver com as pessoas que tem o soro positivo e escutar as suas experiências de vida. Percebi que a Adis é, para eles, o menor dos seus problemas, pois convivem com o anonimato com o desprezo das suas famílias, como se a AIDS fosse transmitida com um simples aperto de mão ou com um abraço. Com isso, aprendi que a pessoa que tem sorologia precisa ser tratada da mesma maneira que uma pessoa que não tenha.

O que existe em nossa sociedade é falta de conhecimento, e isso sim é o maior dos preconceitos, por que a AIDS não tem cara, não tem sexo, muito menos idade, sendo que ninguém está livre de um dia contrair a doença ou de ter amigos e familiares portadores. Além da Pastoral da AIDS, hoje faço parte também do Grupo de Prevenção. Através da Semana Missionária e da Pastoral da AIDS, posso afirmar com certeza que hoje sou um novo homem e um Cristão ainda melhor, capaz de amar a todos da mesma forma sem nenhuma diferença.

A fé sem obras é morta, e é com esse pensamento que sempre seguirei o Rumo Certo de Deus.

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface