E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Pastoral Familiar do Regional Sul 3 promove Congresso Regional

Publicada em 02/09/2015

Cerca de 130 representantes de oito dioceses gaúchas participaram do 18º Congresso Regional Sul 3 da Pastoral Familiar, com o tema: “O amor é a nossa missão: a família plenamente viva” e o lema: “Eu e minha família serviremos ao Senhor”, nos dias 29 e 30 de agosto, no Centro de Espiritualidade Cristo Rei (CECREI), em São Leopoldo (RS).

Na abertura das atividades, no sábado (29) pela manhã, Dom Zeno Hastenteufel, bispo da Diocese de Novo Hamburgo e Referencial da Pastoral Familiar, acolheu com alegria os congressistas e apresentou o Pe. Edson Pereira, da Diocese de Cachoeira do Sul, na missão de novo assessor eclesiástico da Pastoral Familiar.

“É uma responsabilidade muito grande assumir a tarefa que o Pe. Leandro Chiarello exerceu como assessor eclesiástico da Pastoral Familiar Regional. É uma caminhada muito grande a nível Regional. A experiência que eu tenho é de um diocese e acredito que possa servir a nível de Estado. Assumir essa função é uma responsabilidade, mas quando se faz com amor se confia na graça de Deus e eu disse sim pela importância da família”, declarou o novo assessor eclesiástico Pe. Edson Pereira.

No primeiro dia (29), os congressistas refletiram sobre a família no plano de Deus, desafios da Pastoral Familiar, pré e pós-matrimônio, casos especiais, novas diretrizes da CNBB para a Pastoral Familiar, formação de agentes, método de Billings, vocação e a missão da família na Igreja no Mundo Contemporâneo, Sínodo para as Famílias, situação da Pastoral no Regional e depoimentos.

Já no segundo dia (30), tratou-se da realidade atual das famílias, pastoral orgânica de articulação entre pastorais, serviços, movimentos e articulação com entidades fora da Igreja. Por fim, a palestra sobre o tema do congresso “Eu e minha família serviremos ao Senhor”.

Segundo o casal coordenador da Pastoral Familiar da Diocese de Novo Hamburgo, Julio e Ana Quintana, “normalmente em nas nossas orações pedimos a Deus para ajudar nossas famílias a viver na unidade. Que a família viva a solidariedade e a amizade. Pedimos também que Deus afaste de nossas famílias os males que a ameaçam e que nos ajude a desenvolver em nossas famílias as atitudes de amor generoso e a perseverança. Devemos orar sim, mas também devemos realizar ações que nos ajudem a alcançar aquilo que queremos viver. Portanto, este congresso teve a função de nos preparar para sermos fortes na fé e na ação”, avaliaram.

De acordo com Dom Zeno, “o Regional Sul 3 ainda não esta perfeitamente articulado enquanto Pastoral Familiar, pois das 18 dioceses apenas 8 delas foram representadas neste congresso. Em todas as dioceses há dificuldades de se organizar melhor. Em algumas existem vários movimentos familiares que parecem suficiente, mas fechados em si mesmos. Queremos transmitir a ideia deste congresso, ou seja, que a Pastoral Familiar ocupe aquele espaço prioritário que é apontado nas Diretrizes da Ação Evangelizadora: a educação da fé, a Igreja permanentemente missionária, a Palavra de Deus presente em todos os lares”, concluiu.

A Pastoral Familiar surgiu 1980 após a realização em Roma do sínodo dos bispos sobre a função da família cristã no mundo de hoje. Sua inspiração se deu a partir da Exortação Apostólica Familiaris Consortio do Papa São João Paulo II. No Brasil, com base na Exortação, a CNBB publicou o documento 65 - A Pastoral Familiar no Brasil que serve de subsídio para a implantação da Pastoral Familiar nas Paróquias. 

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface