E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Testemunho de oração e fé

Publicada em 27/04/2015

  • Testemunho de oração e fé

Na cidade de Pelotas, o Grupo Jovem Servos do Senhor (GJSS) pertencente a Paróquia Nossa Senhora da Luz, tem por tradição uma vez por ano realizar o Cerco de Jericó, onde a Igreja fica aberta para orações por 24 horas durante uma semana. O primeiro ocorreu em 1999, para orar pela ordenação diaconal de um amigo dos membros do grupo.

Em 2015, a atividade que ocorreu do dia 15 a 22 de abril na capela da Igreja da Luz, teve um motivo muito especial, rezar por Renan Fiori, o coordenador do Folclore do grupo, que sofreu um grave acidente de carro.

Assim que ficaram sabendo da notícia, os jovens queriam achar alguma forma de ajudar o amigo, mas como naquele momento só o que se podia fazer era rezar, decidiram montar o Cerco, o que levaria no mínimo uma semana para organizar pessoas e horários, levou menos de 24 horas. Membros de diversos movimentos da cidade como Emaús, Nazareth, outros Grupos Jovens, amigos e família se mobilizaram e entraram nessa grande corrente.

O GJSS ficou responsável pela madrugada, contando com cerca de 14 jovens no horário de meia-noite as sete da manhã, foi dividida uma hora por dupla ou trio para rezar na capela, enquanto os outros descansavam na sacristia. Este ano, essa organização não foi muito respeitada, pois a vontade de estarem juntos em oração era tão grande que muitos não conseguiam dormir, preferiam ficar além de seu horário.

As notícias desde o dia do ocorrido, não eram satisfatórias, porém após as primeiras horas de reflexões e orações Renan começou a melhorar, mesmo diante de alguns sustos, no final dos diagnósticos sempre havia alguma melhora. “O cerco pra mim foi um ato de amor, compaixão e amizade. Estarmos reunidos com tanta união e foco por uma mesma causa foi incrível, mas mais incrível foi sentir a presença de Deus e sentir que ele estava vendo aquilo e atendendo as nossas preces para que ele melhorasse.” Disse Gabriel Urrutia, membro do GJSS. “O Renan é muito importante para mim, se não fosse ele eu não estaria no caminho do Cristo, não teria conhecido as pessoas maravilhosas que eu conheci, e principalmente, não teria mudado. Enquanto ele não sair de lá não vou parar de rezar e acho que quando ele sair temos que rezar e agradecer mais ainda,” completou.

Na última noite às 23 horas, foi realizada pelo Pe. Flavio Martinez, uma celebração de encerramento. Não contentes, os jovens decidiram continuar as orações conjuntas todos os dias das 22 horas até a meia-noite, o que continua até hoje. A situação de Renan hoje é estável e tem melhoras significativas dia após dia, não há dúvidas de que Deus está presente tanto nas orações quanto nas mãos de cada médico que cuida do caso.

 

 

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface