E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Vocação e missão: um chamado de Deus

Publicada em 01/04/2015

  • Vocação e missão: um chamado de Deus

O salão da paróquia Nossa Senhora da Conceição foi enchendo-se aos poucos na manhã de sábado, 28, para a catequese sobre Vocação e Missão – uma das atividades da Jornada Arquidiocesana da Juventude 2015. E ficou repleto de jovens – desde aqueles que, com menos idade, são membros dos vários grupos da arquidiocese, até os que, apesar dos cabelos brancos, mantêm o ímpeto juvenil na alma. Para contar sobre a pregação, a equipe de Kairós do Seminário Maior de Viamão – embalados pelo hino vocacional de 2015 – relataram seus testemunhos e mobilizaram todos para o flashmob.

Estar nessa catequese acabou sendo mais que uma feliz coincidência para alguns participantes. Foi o caso de Pedro Tiago da Silva, 18 anos, Gabriel Marques e Fabiana Tuffani, ambos de 16. Eles contaram que, apesar de não terem combinado, o grupo – que se conheceu durante o Rebanhão, na paróquia São Martinho –, quando soube da JAJ, acabou fazendo a inscrição para o mesmo evento.

Pedro, da São Martinho, destacou que uma das características da JAJ é a de procurar unir a juventude, lembrando a edição do ano passado e a Jornada Mundial de 2013, no Rio de Janeiro. Este é o mesmo pensamento de Gabriel, da paróquia Divina Providência de Viamão, que procurou, além de conhecer sobre vocação e missão, reencontrar os amigos. Mas a catequese assumiu um sentido especial para Fabiana, da paróquia São José Operário de Alvorada: ela iniciou o discernimento para a vida religiosa e, em maio, deve fazer a experiência de vida com as irmãs Clarissas.

A caminhada da jovem iniciou com as catequeses de comunhão e crisma, em 2014, sendo chamada logo depois, para coordenar o grupo de coroinhas. A sensação de bem estar, juntamente com a vontade de estar com cada vez mais frequência na igreja, a levou a ser convidada pelo padre Luís Inácio para auxiliar em missas e ordenações. Nestas ocasiões, teve contato com irmãs consagradas, percebendo assim o chamado de Deus em sua vida. “Participando de celebrações e posses, fui sentindo interesse”, revela.

E Fabiana não está sozinha. Ao lado dela, na catequese, estava presente a mãe, Vânia Tuffani, que revelou que o interesse à vida religiosa partiu da própria filha. E afirmou que este apoio é respaldado em casa. Vânia contou, ainda, mostrar-se presente na caminhada da filha. “Dou força, e sempre onde eu posso procuro estar com ela.”

 

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface