E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

É Jesus que chama!

Publicada em 27/03/2015

  • É Jesus que chama!

Estava com meus treze anos de idade quando recebi o convite de um amigo para participar desse tal de CLJ, não deu outra: no sábado seguinte estava lá. Dizem que a primeira impressão é a que fica, pois bem, a minha foi ótima! Pessoal animado, cantando, se abraçando, rezando. A partir naquele primeiro sábado, lá em 2008, comecei a participar assiduamente do movimento, as semanas se passaram e eu me envolvia cada vez mais, sempre empolgada e animada em participar.

O CLJ tem um grande poder de transformação da vida das pessoas, aquela menina tímida e acanhada aos poucos foi ficando para trás, quando me dei conta estava planejando e coordenando atividades, coisas que eu não me imaginava fazendo antes de entrar para o grupo.

É um tanto complicado descrever por meio de palavras o tamanho da felicidade que o CLJ trouxe para a minha vida, foram momentos únicos e inesquecíveis que vivenciei e tenho a absoluta certeza de que se não fosse por meio dele não os teria vivenciado. Conheci pessoas incríveis, que representam muito para mim. Aprendi a valorizar as pessoas que estavam e estão sempre comigo. Além de crescer na fé e conhecer cada vez mais sobre nosso Líder Jesus Cristo.

O incrível desse movimento é saber que tu, mesmo sendo só um corpo no mundo, pode fazer a diferença na vida de tantas outras pessoas.  Foi necessário liderar, mas não somente pela palavra, também pelo exemplo.

Ao longo desses anos inúmeras vezes sentei, planejei uma atividade para chegar no sábado e não ter jovens no grupo, o sentimento de frustração era enorme, outras tantas em que era julgada por alguma decisão que teve  que ser tomada, ou ainda quando te culpavam de algo. Teve momentos que em que olhava para o lado e não encontrava ninguém, mas estava errada. Cristo sempre esteve ali, do meu lado! E esse é o verdadeiro motivo que nos faz continuar, que nos faz lutar diante das dificuldades.

As lágrimas que foram derramadas ao longo desses anos de caminhada são incontáveis, muitas delas por frustração, sendo que muitas vezes os planos não davam certo. Outras por decepção e outras ainda por medo.  Mas a maioria com certeza por alegria, felicidade ao voltar de um retiro, de perceber que todo teu esforço valeu a pena, de perceber que tem pessoas incríveis ao teu lado e que elas te amam muito, de saber que tu fez a diferença na vida de alguém. E o principal, que Jesus Cristo tem um amor imenso por cada um de nós!

Shalom!

 

 

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface