E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Arquidiocese de Passo Fundo acolhe o padre Daniel Feltes

Publicada em 16/03/2015

  • Arquidiocese de Passo Fundo acolhe o padre Daniel Feltes

25 anos. A opção radical do jovem, natural do interior de Sarandi, foi concretizada pelas mãos do arcebispo de Passo Fundo, dom Antonio Carlos Altieri. Daniel Rodrigo Feltes foi ordenado padre no sábado, 14, na paróquia Nossa Senhora dos Navegantes, em Nova Boa Vista.

“A teu convite e missão, dou meu sim. Te seguirei. Quero ser instrumento em tuas mãos. Por isso, conduz meus passos. Ajuda-me a ser teu servidor, a seguir fielmente ao Bom Pastor.” Assumindo o lema Eu vim para que todos tenham vida, o neopresbítero acrescentou que deseja fazê-lo “com dignidade, com vitalidade, com sentido verdadeiro”. A celebração contou com a presença de 50 padres e diáconos, além de familiares e amigos.

Padre Daniel nasceu em 17 de novembro de 1989 e é o filho mais novo de Neiva Maria e Rogério Feltes e irmão dos gêmeos Fabiane Cristina e Fábio Luiz. Desde a entrada no seminário, em 2005, o jovem percorreu um caminho de 10 anos no processo formativo de discernimento e amadurecimento na vocação e na fé.

Durante a missa de ordenação, Daniel viveu junto com seus familiares e a comunidade presente momentos de intensa emoção. O novo padre foi ungido por Dom Altieri, professou seus compromissos e foi revestido pela túnica e estola sacerdotal pelos colegas do curso de Teologia. Os padres presentes na celebração também receberam com alegria o novo irmão, abençoando-o pela imposição das mãos e acolhendo-o com um fraterno abraço.

Na homilia, dom Altieri afirmou que “a mais sublime missão do sacerdote hoje é, sem dúvida, ser um Cristo agora. A sua primeira e fundamental vocação é a da santidade, juntamente com a de toda a Igreja. Seria um contra senso e até um escândalo um padre que não fosse nem bom cristão.” O arcebispo ressaltou também que “ser padre hoje ainda é entrega, é imolação, é doar-se integralmente, é cruz. Tomar essa cruz significa comprometer-se para derrotar o pecado que impede o caminho rumo a Deus”. Lembrando que “não se vive como padre nos horários comerciais, mas se é padre sempre”, dom Antonio Carlos aconselhou ao novo padre: “Meditando na lei do Senhor, acredite sempre na Palavra que ler, ensine o que acreditar e pratique o que ensinar”.

Daniel foi saudado pelos representantes da comunidade São José do Maneador, seu local de origem. Padre Fábio de Morais, vigário geral da arquidiocese, falou ao jovem em nome de todos os presbíteros: “Você é um homem de Deus. Chamado, consagrado e enviado por Ele para servir o povo”. Citando o papa Francisco, padre Fábio realçou: “No dia da ordenação, nossas mãos e nossa vida são definitivamente ungidas, somos sacerdotes para sempre. Mas a partir do dia seguinte, o Senhor continua a nos ungir pelos braços do povo. Levamos a ele o perfume do óleo de Deus e recebemos o aroma preferido de todo o sacerdote realizado: o cheiro das ovelhas”. Para concluir, o vigário convidou o padre Itamar Lavarda, pároco da Nossa Senhora da Saúde, em Tapejara, para acolher de forma especial o padre Daniel, que passará a trabalhar como vigário paroquial nesta paróquia.

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface