E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Comunidades Terapêuticas pedem apoio em petição pública

Publicada em 27/02/2015

  • Comunidades Terapêuticas pedem apoio em petição pública

As Comunidades Terapêuticas fazem uma campanha em favor da regulamentação das instituições, para tornar definitiva a forma de atuação que até hoje apresenta resultados positivos. No entanto, argumentam que a proposta tem sofrido resistências que questionam os “métodos” de recuperação, inclusive o uso da espiritualidade como caminho para a mudança de vida dos jovens que chegam às comunidades.

Por isso, pedem apoio e assinaturas à petição pública disponível online. O prazo é até o dia 28 de fevereiro.

• As Comunidades Terapêuticas (CTs) são umas das opções da rede de serviços que as famílias têm à disposição para ajudar dependentes. Ele e seu familiar devem ter assegurado o direito de escolher a modalidade de acolhimento que melhor venha ao encontro de suas necessidades. As CTs são o segmento desta rede de cuidado que mais atendem pessoas dependentes, com mais de 80% das pessoas que são acolhidas no Brasil em regime de acolhimento residencial. Ou seja, as pessoas acreditam neste modelo.

• As Comunidades Terapêuticas que querem um marco regulatório, têm equipes de trabalho interdisciplinar e estrutura física adequada, e estão alicerçadas na técnica e no amor ao próximo, pois a base da recuperação de qualquer doença depende muito de o indivíduo acreditar na recuperação. Isto acontece com qualquer doença e está cientificamente comprovado em muitas pesquisas.

• As Comunidades Terapêuticas que querem a regulamentação empregam hoje muitos profissionais, sendo a maioria destes da área de saúde, psicologia, assistência social e áreas correlacionadas à proteção aos direitos humanos. Estas CT’s também acreditam que a questão da dependência química é complexa e multifatorial, sendo a recuperação condicionada à situação em que a pessoa e sua rede familiar está inserida.

• As CT’s admitem que todos os modelos de acolhimento devem ser disponibilizados às famílias, como os Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-AD), Rede Básica de Saúde, Hospitais Gerais, Consultórios de Rua, Clínicas Particulares de Psiquiatria, Atendimento Ambulatorial, Grupos de Apoio, como o Amor Exigente, Grupos Esperança e Vida, Cruz Azul, Narcóticos Anônimos, Alcoólatras Anônimos, dentre outros.

Conheça: Oito razões para apoiar o marco regulatório.

Fonte: Jovens Conectados

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface