E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

As águas do tufão filipino respeitaram o sacrário

Publicada em 14/01/2015

  • As águas do tufão filipino respeitaram o sacrário

O tufão Ruby, que atingiu as Filipinas no começo de dezembro, deixou um rastro de destruição e inúmeras inundações, mesmo não sendo tão intenso como o Haiyan, que em 2013 causou mais de 6 mil mortes.
 Uma das regiões atingidas do país foi a diocese de Borongan (Samar Oriental), onde ocorreu algo surpreendente. A casa sacerdotal ficou inundada pelas águas, mas somente até a altura exata do sacrário da capela (a foto acima mostra a marca da água), que, dessa maneira, ficou preservado do desastre, com o resto do edifício coberto pela lama.
De fato, o véu do sacrário ficou impolutamente branco, sem ser sequer salpicado pelas escuras águas da inundação. E a vela, que indica a presença do Senhor na Eucaristia, permaneceu intacta e acesa após seis horas de chuva, vento e água.
 Vários padres e seminaristas foram testemunhas destes fatos, assim que entraram novamente na casa. Segundo informa o Gaudium Press, o bispo de Borongan, Dom Crispin Barrete Varquez, interpretou o ocorrido como uma lição divina: “Às vezes ignoramos e não valorizamos a presença do Santíssimo na Eucaristia, que é o Senhor no meio de nós”.
 “O incidente da casa sacerdotal indica que Ele está vivo, que Ele está aqui, que Ele é o Rei”, disse em uma homilia, recordando que Deus não abandona seu povo nas tragédias: “Deus está conosco especialmente em momentos de tribulação, lembrando-nos que Ele é o Mestre de toda criatura e o Senhor de toda a terra”.

Fonte: Aleteia

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface