E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Processo de beatificação de Odette Vidal de Oliveira, a Odetinha

Publicada em 11/11/2014

  • Processo de beatificação de Odette Vidal de Oliveira, a Odetinha

Ontem, 10 de Novembro de 2014, a Arquidiocese do Rio de Janeiro informou que está chegando ao fim, em âmbito diocesano, o processo de beatificação de Odette Vidal de Oliveira, a Odetinha.

Odete Vidal de Oliveira, também conhecida como Odetinha, nasceu na cidade do Rio de Janeiro em 15 de setembro de 1930 e faleceu em 25 de novembro de 1939.

Desde 1970 o túmulo da serva de Deus brasileira, cujo processo de beatificação se iniciou no dia 18 de janeiro de 2013, é local de peregrinação.

Em notícia publicada recentemente, a Arquidiocese informa que deve enviar ao Vaticano, em breve, um relatório com cerca de mil páginas que conta em detalhes a história de devoção à menina, com depoimentos de cerca de 20 mil graças alcançadas.

A notícia destaca que até o ano passado, quando o túmulo foi transferido para a Basílica da Imaculada Conceição, em Botafogo, a sepultura de Odetinha era a segunda mais visitada do Cemitério São João Batista, atrás apenas das visitações à Carmem Miranda. Mesmo que o corpo tenha sido sepultado o mais fundo possível, quando feita a transladação do corpo foram encontrados vários terços, fotos e bilhetes deixados por fiéis dentro do túmulo.

A fama de santidade de Odetinha passa pelas atitudes inesperadas de uma criança, que durante o intervalo das aulas, além de brincar, pedia às religiosas da escola para fazer adoração ao Santíssimo antes que o sinal tocasse.

A notícia revela também que a criança, mesmo sendo de família rica, preferia que a mãe, Alice Vidal, deixasse de presentear a ela e comprasse algo para aqueles que viviam nas ruas e orfanatos.

O vigário episcopal para a Vida Consagrada, Dom Roberto Lopes – lê-se na notícia - que também é o responsável pela Causa dos Santos na arquidiocese ressalta a fidelidade dos devotos de Odetinha. “Não é a Igreja no Rio, o arcebispo ou eu mesmo que estão querendo criar uma santa. Nós só queremos dar uma resposta àquilo que o povo há 74 anos pede, por que a veneram como uma santa”.

Em Roma, a Congregação para a Causa dos Santos vai analisar primeiramente se foram atendidas todas as formalidades exigidas no processo e logo após, edita-se um decreto de validade jurídica. O próximo passo é solicitar a nomeação de um relator para que seja feito o resumo da causa e depois esta é encaminhada a teólogos e cardeais para análise de venerabilidade, conclui.

Fonte: (Zenit.org).

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface