E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Vida Consagrada: a missão de semear o Evangelho

Publicada em 16/08/2014

“Partir é, antes e tudo, sair de si.
 Romper a crosta de egoísmo que tende aprisionar-nos no próprio eu.
 Partir é não rodar, permanentemente, em torno de si,
 numa atitude de quem, na prática, se constitui centro do mundo e da vida.
Partir, mais do que devorar estradas, cruzar mares ou atingir velocidades supersônicas,
 é abrir-se aos outros, descobri-los, ir-lhes ao encontro.
Abrir-se às ideias, inclusive contrárias às próprias, demonstra fôlego de bom caminheiro". (Dom Helder)

 

 Queridos amigos, faz quase 25 anos que deixei meu Bairro, Vila Nogueira, em Campo Grande-MS e rumei em busca do sonho de Deus para minha vida. Hoje já são 19 anos como Irmã Pastorinha, semeando o Evangelho em tantos lugares onde Deus me concedeu de estar. Minha vocação nasceu naturalmente dentro da comunidade e grupo de jovens no qual participava. Um desejo intenso de ser toda de Deus e com a minha vida, ser serva de Cristo ajudando construir seu Reino onde e como Ele quisesse. Já andei por muitos lugares. Cada vez, em cada realidade, encontro pessoas sedentas de Deus, de vida, de sentido, de motivo para viver. Entrando em tantas casas, partilhando de tantas vidas, especialmente da juventude, percebo que muitos têm fome no físico e no espírito... Vejo tanta gente que nunca ouviu falar de Jesus, gente que vive por viver sem saber sua origem e destino: o coração de Deus amor...


 Faço parte da Congregação das Irmãs de Jesus Bom Pastor, Pastorinhas que tem na Igreja o carisma pastoral. Vivemos em pequenas comunidades em meio ao povo de Deus, formando comunidades, lideranças, acompanhando humano, espiritual, acompanhando no serviço da Palavra, Caridade, Liturgia.


 Tantas vezes como consagrada sinto a dor no coração diante de tanta miséria de pão e de Deus... dói ver crianças sem sonhos, sem futuro, sem ter ninguém que as oriente para valores verdadeiros... dói ver adolescentes de dez, doze anos grávidas, sem escola, sem sonho, sem perspectivas de vida.... Dói ver tantos jovens cheios de energia e vigor, presos no mundo da bebida, das drogas, da prostituição como se a vida se resumisse a isso... isso me faz ouvir como o profeta Isaias “Quem enviarei, quem irá por nós”? e repito de novo: “aqui estou Senhor, envia-me!”.

 

Cada vez que contemplo Deus na Palavra, quando o escuto no profundo do coração diante da Eucaristia.... Ouço sua voz a dizer: “Segue-me!” Coragem! Eu Estou contigo!  “Eu vim para que TODOS tenham vida e a tenham em abundância!”  E Ele o Deus vivo a quem sigo desde a minha infância me enche de vigor e dá sentido para continuar semeando... Ele me faz acreditar que vale a pena... uma pessoa ajudada é uma a menos a perambular pela vida sem sentido... quando me uno com outras pessoas, outros servidores do Reino... com a juventude... vejo que é muito maior o número daqueles que semeiam o bem do que os que fazem o mal.... mas a vida, muitas vezes, fica escondida como semente no fundo da terra, é preciso ter os olhos da fé para perceber o avançar silencioso do Reino de Deus como o Cristo Pobre que se encarnou em nosso mundo .... e nunca mais nos deixou na luta pela vida...


 Confesso a vocês que me sinto muito feliz nesse caminho, sinto-me serva desse Deus Amor... sinto a alegria de pertencer a admirável Família Paulina que neste mês celebra seu centenário de Fundação. Não me esqueço também da pequena comunidade Rainha dos Apóstolos, da qual sai e que me enviou. Tenho Maria como modelo: aquela que soube sempre sair de si mesma para aderir ao sonho de Deus, de vida para todos, aquela que permitiu Deus invadir todo o seu ser e trazer vida nova para o mundo...


Ser religioso, ser religiosa no tempo atual, como em todos os tempos, não é ser um super-homem, ou super-mulher, não é ser maior que os outros. É acolher um dom, viver uma vocação especial sim, na busca de abertura contínua a Deus e aos irmãos. É aceitar viver cada dia a loucura do amor que se renova, e cresce cada vez que se vence o egoísmo e se faz dom aos demais. É uma alegria, que não se consegue explicar, somente viver. Nesta semana em que celebramos a vocação à vida consagrada queria somente recordar: todo batizado é missionário por natureza! Recebemos um presente: o dom de Deus, Jesus Cristo e precisamos anunciá-lo... mais da metade da humanidade não o conhece, ele o autor da vida, o único a dar sentido profundo a nossa existência!

 

Veja ao seu redor em sua casa, em sua rua, na escola no trabalho.... e se pergunte: como posso testemunhar Jesus?... Tem sempre alguém sedento de vida e de amor... partilhe! E se por acaso, sentir no coração o desejo de algo mais, de servi-lo numa consagração mais profunda na vida consagrada, não tenha medo de dizer sim e nas pegadas de Cristo viver uma grande aventura de amor: você certamente será feliz!

 

*** Irmã Suzimara Barbosa de Almeida é da Congregação das Irmãs de Jesus Bom Pastor, Pastorinhas

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface