E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Vida Religiosa

Publicada em 16/08/2014


Durante a JMJ no Rio de Janeiro o Papa Francisco convidou toda a Vida Religiosa a ser um sinal de esperança no mundo de hoje:“os religiosos e as religiosas deveriam ser pessoas capazes de despertar o mundo”. Despertar o mundo para o encontro pessoal com Jesus Cristo, para o encontro alegre com os irmãos e irmãs e dessa forma, serem pessoas capazes de viver a alegria do cristão, motivar outros a seguir esse exemplo, transmitindo esperança a quem não a tem, mostrando que existem outras maneiras de ser feliz.


Em outras palavras, ser uma presença que ilumina, contagia e aquece os corações que vivem em um contexto de escuridão. Para essa experiência, muitos homens e mulheres disseram o seu sim a Deus, consagrando a Ele, o bem mais preciso que possuem, oferecendo suas vidas a Jesus Cristo, para serem sinal de luz para os irmãs e irmãos.


 A esses corajosos que tiveram a ousadia de ir contra a corrente do mundo, chamamos de consagrados e consagradas, homens e mulheres que dedicam suas vidas a viverem com radicalidade o seu batismo. Vivendo em uma comunidade religiosa, assumindo um carisma específico, que revela um traço da face de Jesus, que vive a espiritualidade e realiza uma missão, sejam aqueles que se dedicam á vida contemplativa nos mosteiros, ou aqueles que dedicam-se a vida ativa nas várias frentes pastorais e evangelizadoras da Igreja.


Celebrar as vocações tornou-se algo tão especial, que mereceu destaque na igreja do Brasil. Em 1981 a CNBB, definiu em assembleia, que no mês de agosto seria dedicado as vocações. Motivado pela festa da Assunção de Nossa Senhora, na terceira semana do mês de agosto, celebramos a vocação à vida consagrada, que são as vocações religiosas, missionárias, de pessoas que optaram em consagrar suas vidas a Deus através da vivencia dos votos de pobreza, castidade e obediência.


Oxalá, muitos jovens, possam descobrir esse caminho e sentirem-se chamados a essa opção de vida, e consigam dizer sim a esse projeto de amor, sendo coração no mundo. Tornando visível o amor de Deus por todas as pessoas, que restitui a pessoa em sua dignidade, independente da cor, etnia, condição social, das escolhas que faz, Deus nos ama por que Ele é amor, e nos chama a expressar esse amor de forma plena, para que, assim possamos construir a civilização do amor.

 

*** Ir. Juceli Zaffari é das Irmãs Filhas do Sagrado Coração de Jesus

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface