E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

A COPA E O ESPÍRITO

Publicada em 08/07/2014

Apenas de quatro em quatro anos aparece a possibilidade de vivermos uma Copa do Mundo. Tamanho é o poder deste evento que, por este breve tempo de graça, a nossa agenda concorrida recebe uma nova configuração. Mesmo àqueles que não gostam de futebol ou são indiferentes ao esporte, a Copa traz uma nova mística, e o nosso espírito acompanha os fatos e a história que vivemos.

Junto às telas e rádios muita fraternidade se cria e entre os amigos um novo assunto se torna o princípio de um bom bate-papo. É impossível não compartilhar os golaços e o talento dos novos jogadores (nesta Copa especialmente a qualidade dos goleiros), as lesões que sensibilizam, as divertidas poses e expressões de técnicos, juízes, atletas e torcida. A criatividade vem tomando conta das interpretações de cada lance, e tudo aparece e recebe ampla cobertura nas mídias e redes sociais.  Em tudo isso, a Copa gera comunhão.

Mais que futebol, esta Copa mostra também a força das expressões, por vezes divertidas e por outras dramáticas, de quem se envolve com o instante que vive. Tudo pode ser visto sobre todos os ângulos. Se antes da Copa o país ficou apavorado com o poder das manifestações populares e as denúncias de corrupção na preparação do evento, durante os jogos nos irritamos com as simulações de faltas e com os erros da arbitragem, mas vibramos com os vitoriosos e com os artistas da bola, e choramos com os derrotados. Em tudo isso, a Copa suscitou em nós um desejo de justiça e autenticidade.

E nesta reta final de campanha, depois de altos e baixos da Seleção, nós brasileiros já visualizamos um final feliz no próximo domingo. Faltam apenas duas partidas, mas estamos sem nosso capitão e sem o nomeado craque da equipe. Nem sabemos o time que será escalado, mas sabemos que as vitórias somente virão na base da garra, do trabalho em equipe e da superação. Nisto, a Copa nos mostra que é bom e necessário ter esperança. Ela é capaz de acender nossas forças e nossos dons pessoais, para alcançarmos a meta que nos propomos.

Sejam quais forem os resultados destas últimas partidas, que as nossas vidas se animem e se renovem no bom espírito que a Copa nos suscitou. Esperança, autenticidade e comunhão não se preza apenas no futebol. São valores que sustentam grandes almas, e que enriquecem as pessoas e as sociedades que nelas se alicerçam.

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface