E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Experiências Missionárias levam jovens ao encontro de Jesus em diferentes realidades

Publicada em 30/11/2016

Ser cristão é estar em estado permanente de missão. Esse convite foi feito especialmente aos jovens, pelo Papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude de 2013: “Ide sem medo para servir”. Motivados por essa ideia, jovens do Regional Sul 3 da CNBB assumiram a missionaridade como um dos eixos fundamentais para a evangelização de outros jovens. A partir daí, foram idealizados os planos bienais de 2014 e 2015, o #EmMissão, e o de 2016 e 2017, que traz o tema transversal “Em Missão Pela Vida”.

Depois da Semana Missionária ocorrida em Porto Alegre, em 2015, ao longo de 2016 diversas dioceses realizaram experiências missionárias. Neste período em que iniciamos o Advento, partilhamos alguns relatos de jovens que foram ao encontro do Jesus que se mostra no dia a dia. “Na missão é que reconhecemos o divino que nasce e se mostra no cotidiano de nossas vidas pelos encontros, pelas relações e nas pessoas”, diz a coordenadora do Serviço de Evangelização da Juventude do Rio Grande do Sul, Zenilde Fontes.

A Diocese de Rio Grande, no Sul do estado, celebra a alegria da revitalização dos grupos a partir da experiência missionária realizada antes do Dia Nacional da Juventude (DNJ), em setembro. Mais de duzentos jovens foram divididos em seis comunidades do interior de São José do Norte para visitar as famílias, conhecer um pouco da realidade e unir-se em oração com os moradores. “Os frutos que ficaram após esta jornada missionária são incontáveis, como o nascimento de diversos grupos de jovens nas comunidades visitadas em São José do Norte e a motivação dos jovens dentro de seus movimentos e pastorais ao retornarem para suas casas”, conta a comunicadora do setor juventude da Diocese, Raquel Porto.

“Mas talvez o maior fruto, que vem já com um desafio, tenha sido a realização de um momento muito maior, uma obra muito além do que fazíamos, nos mostrando que o Setor Juventude do Rio Grande é capaz de realizar muito, que os nossos jovens reunidos trazem forças transformadoras às nossas realidades e que não devemos jamais deixar morrer o espírito missionário que foi semeado”, destaca Raquel.

Os jovens das dioceses de Osório também saíram em missão, em julho deste ano, quando visitaram comunidades de paróquias de Capão da Canoa e de Xangri-lá. De acordo com membros do Setor Juventude da Diocese, uma das experiências mais significativas foi a visita ao Presídio Modulado de Osório, onde tiveram a oportunidade de conversar com alguns detentos e conhecer um pouco mais sobre o trabalho que eles fazem, como artesanato, música, cuidado com o pátio, com o preparo das refeições e da própria infraestrutura do presídio. “Dentre vários aspectos observados, um dos que chamou a atenção foi a constatação da precariedade do sistema penitenciário no Brasil. Os jovens perceberam a fragilidade desde o baixo efetivo de agentes penitenciários até as péssimas condições dos módulos dos quais os detentos vivem”, conta o comunicador Elizeu Teixeira.

Para a Semana Missionária de Santa Maria, foram preparados subsídios para encontros com temas Marianos. Assim, os grupos trabalharam o Projeto Rota 300 e o Ano da Misericórdia a partir de temas como Maria Mãe da Misericórdia, Maria que acolhe o projeto de Deus, Maria que vai ao encontro da prima Isabel, e que sai em missão com os discípulos a partir do Cenáculo. Após a realização dos encontros preparatórios, os jovens visitaram imigrantes senegaleses, índios Kaingang, a Fase, a Casa de Saúde e um asilo.

“Sobre a fase, inicialmente um sentimento de impotência, ao ver jovens como nós ali, sabendo que poderiam estar livres, mas também de esperança, se realmente abrirem o coração para que Jesus os modifique, mesmo sabendo que de todas as sementes plantadas poucas germinarão e darão fruto”, testemunha o jovem Maique Argenta.                 

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface