E aí tchê
Em missão pela vida
FacebookTwitterInstagramYouTube

Bote Fé... A Fé... Ano da Fé...

Publicada em 23/11/2013

Vimos. Escutamos. Falamos. Cantamos. Expressamos. Escrevemos. Dissemos. Gritamos. Gesticulamos. Dançamos. Caminhamos. Dialogamos. Pensamos. Sentimos. Anotamos. Desenhamos. Imaginamos. Sonhamos. Contamos. Ouvimos. Suplicamos. Insistimos. Convidamos. Convocamos. Sim. Foi um ano especial. Nele nos deparamos com o apelo Bote fé. Havia algo novo entre nós: Bote fé. Até o Papa, bem junto a nós, mexeu conosco ao anunciar: Bote fé. Vestimos a camiseta, nos alegramos ao encontrar gente com a camiseta Bote fé. E ela marcou presença entre nós. Se antes parecia algo tão pouco familiar, sem grande encanto, ela apresentou-se com vitalidade e cheia de graça. Decididamente a fé teve vez entre nós. Mesmo que, em seu começo, parecia não deslanchar, que fosse percebido como algo distante, o Ano da Fé ganhou importância, fortaleceu seu sentido e intensificou sua vitalidade. Parar e rever a caminhada. Reconhecer passos, recolher aprendizados, agradecer a Deus o que foi vivido. Fortalecer o desejo de caminhar, renovar as esperanças e retomar a dinâmica de quem está a caminho. Tais atitudes e jeitos são importantes em nossa vida e convivência. Assim, podemos afirmar: o ano 2013 foi muito especial na vida da Igreja. Ajudamos a fazer este ano ser tão diferente. Vários acontecimentos foram muito significativos. Lembrar algo destas dimensões quer ser um convite para exercitarmos o esforço de memória daquilo que experienciamos de mais significativo em nossa vida ao longo deste Ano da fé. Fomos convidados a envolver-nos e deixar-nos envolver pelo dinamismo de nossa fé. Viver experiências de fé; fortalecer nossa confiança na presença e ação de Deus em nossa vida... Este propósito foi percebido como decisivo em nossa vida cristã. Se lhe perguntassem: o que é a fé? explique o que você entende por fé? ou se lhe dissessem: argumente sobre a importância da fé na vida das pessoas... talvez você teria algumas dificuldades, ou, então, ficaria sem encontrar boas pistas para criar respostas razoáveis. No entanto, se alguém lhe solicitasse: fale de sua experiência de fé; ou, então, conte como você sente a força da fé agindo em tua vida; ou, ainda, como observas a presença da fé na vida das pessoas... por certo, você expressaria uma intensa satisfação para testemunhar experiências muito marcantes... A vibração, entusiasmo e alegria partilhadas pela juventude, especialmente, durante todo o processo da Jornada Mundial da Juventude no Brasil; a persistência de pessoas em suas lutas e buscas nas iniciativas evangelizadoras a serviço das pessoas sofredoras; a coragem e ousadia de quem exerce a profecia num enfrentamento decisivo e bem consistente de mecanismos geradores de injustiças; a dedicação paciente e diuturna de quem acompanha pessoas doentes... essas e outras tantas situações constituem manifestações e expressões da força e vitalidade da fé na vida das pessoas. Muitos outros acontecimentos poderiam aqui ser evocados, mencionados e comentados. O mais importante, porém, é sentir-nos convidados, a partir destas questões, a realizar nosso exercício de memória, de louvor e gratidão a Deus. Por certo a atitude mais apropriada para as circunstâncias em questão é aquela apontada pelo texto do Evangelho segundo Lucas: ?Maria, porém, conservava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração? (Lc 2,19). Que a paz de Deus habite em seus corações!

E aí tchê

Subsídios

© 2017 - E aí tchê Site produzido pela Netface